Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita

No Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita, lembramos a importância da conscientização da cardiopatia congênita. Todos os centros que atendem as crianças devem dar importância para os ambulatórios com cardiologistas para o acompanhamento evolutivo dos pequenos corações, porque estes estão se desenvolvendo, estão se tornando adolescentes e adultos. Os Estados Unidos têm mais de um milhão de pessoas com cardiopatias congênitas e no Brasil tenho certeza de que logo chegaremos a esse número.

Precisamos de leis que ajudem, hoje e no futuro, esses adolescentes e crianças que estão se desenvolvendo, tornando-se adultos. Precisamos ajudá-los a serem inseridos no mercado de trabalho como todos os cidadãos brasileiros. Muito obrigada.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Com a palavra a Profª Dra. Estela Azéka.

A SRA. ESTELA AZÉKA – Boa noite a todos. Agradeço à Sra. Márcia, da Associação Pequenos Corações e ao nobre Vereador Eliseu Gabriel, pela conscientização do Dia da Criança com Cardiopatia Congênita. Agradeço aos presentes, que deixaram seus compromissos para estarem aqui e nos prestigiar. Sinto-me muito honrada em receber essa homenagem, mas acredito que sou apenas representante de uma equipe de profissionais com quem trabalhei e tenho trabalhado e que fazem parte do meu dia a dia. Bem como meus Pares da instituição e fora dela e a própria instituição, que possibilitaram a implementação e a sustentabilidade do programa de transplante cardíaco pediátrico do Instituto do Coração, que completa quase 20 anos. Hoje está completando 101 transplantes.

Agradeço ao Prof. Edmar Atik, que nos honra com sua presença, e ensinou, acredito eu, à maioria de nós, cardiopediatras; ao Prof. Marcelo Jatene, pela convivência diária e por temos lutado,durante esses 20 anos, na implementação do programa; à Dra. Nana Miura e aos colegas que me deram oportunidade de convívio diário no Instituto do Coração. É um privilégio poder trabalhar no Instituto.

Acredito que o Brasil, em especial a cardiologia pediátrica, esteja vivenciando um momento mágico em que a sociedade civil está se conscientizando da necessidade de uma atenção maior ao cuidado daqueles que necessitam tanto da assistência especializada, as crianças cardiopatas. Essa conscientização é motivo de muita alegria.

Dedico esta homenagem aos meus pacientes, a seus familiares e a minha família. Muito obrigada.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Com a palavra a Sra. Márcia Adriana Saia Rebordões.

A SRA. MARCIA ADRIANA SAIA REBORDÕES – Boa noite a todos. Boa noite Vereador Eliseu Gabriel, na pessoa de quem cumprimento todos os componentes da Mesa, todos os presentes, familiares, amigos e profissionais da saúde. É uma alegria imensa e uma honra estar aqui representando a Associação de Assistência à Criança Cardiopata Pequenos Corações, da qual sou diretora presidente, bem como os familiares das crianças cardiopatas, motivo maior de estarmos aqui hoje reunidos para celebração do Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita.

A data que comemoramos é fruto dos esforços do nobre Vereador Eliseu Gabriel, que gentilmente recebeu o pedido da ACC Pequenos Corações e propôs um projeto de lei, que foi acolhido por esta Casa. Em 29 de novembro de 2010, foi aprovada a Lei 15 347, inserindo no calendário municipal da Cidade de Paulo o dia 12 de junho, dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita. Por este motivo, agradeço ao nobre Vereador Gabriel e a todos os ilustres Vereadores que unanimemente acolheram e aprovaram a lei.

Agradeço, primeiramente, a Deus por este momento especial. Meus agradecimentos especiais às autoridades presentes, especialmente ao nobre Vereador que tem nos apoiado incondicionalmente. Agradeço aos componentes da Mesa e às demais médicas cardiologistas pediátricas homenageadas da noite por aceitarem o nosso convite e trazerem seus convidados, que abrilhantam nossa festa. Agradeço à Larissa Mendes, Fabiola Birro, Daniela Buch, diretoras da Pequenos Corações. Um agradecimento especial para minha grande amiga e parceira Patrícia Dumont Tarcha, vice-presidente da Associação. Todas sonharam comigo o mesmo sonho e hoje, meninas, vemos nossos sonhos sendo realidade, transformando e salvando vidas preciosas.

Ano passado, também por iniciativa Eliseu Gabriel, realizamos uma solenidade nesta Casa, já em comemoração da data. Portanto, esse é o segundo ano que esta Casa nos recebe, nos acolhe com tanto carinho. Na oportunidade, recebemos as ilustres presenças dos doutores: Adib Jatene, Miguel Lorenzo Barbeiro Marcial, José Pedro da Silva, Gláucio Furlanetto (Instituto Furlanetto), Marcelo Jatene e Lílian Lopes, que foram carinhosamente homenageados.

Este ano, desejamos expandir as homenagens e destacamos 15 mulheres, profissionais conceituadas nas áreas de cirurgia cardiovascular e cardiologia pediátrica. São todas médicas que exercem suas atividades com competência, profissionalismo, humanidade, respeito e, acima de tudo, amor pela profissão e ao próximo.

Esta homenagem é a forma mais sincera que encontramos de dizer o quanto todas vocês são especiais para nós. Para nossas vidas e por tudo que fazem por nossas crianças. Recebam nosso carinho como expressão da mais pura gratidão que temos por cada uma de vocês. A celebração desta data marca o início de uma luta que este ano ganhou proporções maiores, já que, além da cidade de São Paulo, muitas outras cidades brasileiras receberam o pedido da ACC Pequenos Corações para incluírem em seu calendário o Dia da Cardiopatia Congênita e, somente para citar algumas, o dia 12 de junho está sendo comemorado nas seguintes cidades: Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Londrina, Taubaté, Campinas, Sorocaba, Bauru, Juiz de Fora, Várzea Grande, Cuiabá, Salvador e Vacaria, entre muitas outras que estão em processo de aprovação da lei. O dia é comemorado em âmbito estadual nos seguintes Estados: Ceará, Minas Gerais e Maranhão. A nossa meta é que a data se torne nacional, pois assim teremos mais força para reivindicar políticas públicas voltadas para as necessidades dos cardiopatas. Desejamos ser recebidos no Congresso Nacional e no Ministério da Saúde e conclamamos todos os presentes, especialmente o nobre Vereador Eliseu Gabriel, para abraçarem ainda mais conosco essa causa, divulgando e nos ajudando a concluir esse nosso objetivo.

Para a campanha nacional de cardiopatia congênita que iniciamos esse ano produzimos, em parceria com agência de publicidade UNA, material informativo, com patrocínio do Hospital do Coração, Hospital Infantil Sabará e Clinica de Ecocardiografia Eco Kid, a quem agradecemos pela confiança depositada. O material composto de cartaz e folder ressalta a importância da ecocardiopatia fetal como método diagnóstico precoce e informa sobre os principais sintomas da cardiopatias que, observados pela família, pode fazer toda diferença. Alertando o pediatra que poderá encaminhar a criança para o cardiopediatra. Esse material está sendo distribuído por todo País e fixado em pontos estratégicos por meio dos nossos representantes. Convidamos os senhores presentes para fazerem o mesmo. Dessa forma, ajudarão na divulgação. A luta é de todos.

Teremos uma exposição itinerante, que percorrerá diversas cidades, especialmente suas repartições públicas, compostas de 12 banners, que são esses que os senhores estão vendo por toda sala, com fotos e depoimentos de familiares de cardiopatas. Agradecemos o patrocínio do Hospital do Coração e do Hospital da Beneficência Portuguesa de São Paulo para que a exposição se viabilizasse. Também faz parte da campanha o laço, símbolo da causa, que todos receberam hoje para serem usados como button. O laço foi criado pela Pequeno Corações, representa a circulação arterial e venosa, formando um grande coração e, no centro, um pequeno coração é amparado e acolhido pelo maior. Pedimos que continue usando seus laços em seus ambientes de trabalho, pois assim nos ajudam a divulgar a causa. A divulgação da cardiopatia congênita também se dá por meio das redes sociais da internet – facebook, orkut, twitter, no blog Amigos do Coração e no site Pequenos Corações. Nesses locais as pessoas também usam em seus perfis o laço simbolizando a causa; pela internet, a divulgação da cardiopatia congênita tem alcançado o mundo.

O motivo maior de hoje estarmos aqui reunidos é termos tido, um dia, o privilégio de simplesmente conhecer, ou ainda conceber, criar, cuidar e acima de tudo amar esses pequenos corações, nossas crianças mais que especiais que nos ensinam, com seu exemplo de força, valentia, garra e determinação que cada dia de nossas vidas deve ser como essa noite, uma festa de celebração e gratidão a Deus pelo dom da vida e alegria de viver. Muito obrigada a todos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Anunciamos as palavras do nobre Vereador Eliseu Gabriel – Presidente e proponente desta sessão solene.

O SR. PRESIDENTE (Eliseu Gabriel – PSB) – Boa noite a todos. Inicialmente saúdo Sra. Márcia Adriano Saio Rebordões, Diretora Presidente da Associação de Assistência à Criança Cardiopata Pequenos Corações; Beatriz Helena Sanches Furlanetto – Cirurgiã Cardíaca Pediátrica do Instituto Furlanetto da Real e Benemérita Sociedade de Beneficência Portuguesa; Carla Tanamati – Médica Assistente de Cirurgia Cardiovascular Pediátrica do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; leda Biscegli Jatene, Coordenadora do Serviço de Cardiopatias Congênitas e Cardiologia Pediátrica do Hospital do Coração – Hcor; Luciana da Fonseca da Silva – Cirurgiã cardiovascular pediátrica dos Hospitais Beneficência Portuguesa, Hospital São Paulo, Hospital Infantil Sabará e Hospital Santa Catarina; Magaly Arrais dos Santos ,Cirurgiã Cardiovascular do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia; Nana Miura, Médica Assistente do Grupo de Cardiologia Pediátrica e de Cardiopatias Congênitas do Instituto do Coração e da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; Prof. Doutora Estela Azéka, Médica Chefe da Clínica dos Programas de Transplantes Cardíaco do Instituto do Coração, Livre Docente da Faculdade de Medicina USP, Secretária Tesoureira da International Pediatric Transplantation Association.

Este é um momento raro, extremamente importante, e inicio este encontro lendo um pequeno trecho de um poema de Fernando Pessoa que fala diretamente do porquê de estarmos aqui: ?Ser feliz é encontrar força no perdão, esperanças nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. É agradecer a Deus a cada minuto pelo milagre da vida.?

Esta sessão solene está calcada no amor, sentimento nobre que atinge apenas as pessoas especiais. Amor significa solidariedade, doação ao próximo por inteiro, sem expectativas de retorno, uma verdadeira lição de vida. E é esse amor, essa solidariedade que nos une nesta noite. Alertar a sociedade e também o Poder Público sobre a necessidade de se olhar com carinho a causa representada pela cardiopatia congênita é um grande passo para que milhares de pequenos brasileiros possam ter vida longa, produtiva e feliz.

Por esse motivo, assim que fui procurado pela Márcia e pela Patrícia, fiquei muito emocionado em ver a quantidade de amor que elas traziam, de determinação, e não havia outra maneira de agir a não ser tratar do que vocês queriam, do que vocês propunham. Só tinha de reconhecer essa qualidade humana, essa coragem de vocês. Essa determinação me comoveu muito.

Naquele nosso primeiro evento, fiquei completamente espantado com a quantidade pessoas. Algumas crianças homenagearam os médicos que fizeram suas cirurgias. A partir daí, comecei a ser um militante dessa causa. Mobilizei-me para essa luta. O Dia Municipal de Conscientização da Cardiopatia Congênita é um primeiro passo, aliás, vocês já deram vários passos até chegar aqui. A implantação desse dia de conscientização não surgiu, porque tive uma ideia – um parlamentar brilhante teve uma ideia brilhante. Não! Foi uma pressão da sociedade, do movimento, que conseguiu sensibilizar não só a mim, mas a outros Vereadores. Essa é uma causa muito importante. Imaginem a severidade da cardiopatia se não houver atendimento. Ouvimos o caso da avó da Doutora, que só foi diagnosticada aos 65 anos, vindo a falecer depois de dez anos – e como deve ter sofrido nesse período. Imaginem o sofrimento de pais e mães ao ver seu filho acometido por essa doença, o drama dessa criança e a impossibilidade de ajudá-la.

Essa luta não para na comemoração do dia. municipal da conscientização. Tem de continuar para que o exame de cardiopatia congênita, ecocardiopatia fetal seja uma lei. Seja obrigatório. Dei entrada em um projeto de lei nesta Casa para que na Cidade de São Paulo seja obrigatório o exame de ecocardiopatia fetal. É o passo que estamos dando. Ao aprovar essa lei, que espero que seja aprovada, haverá uma série de consequências. O Poder Público vai ter de sancioná-la. Vão ter de preparar os hospitais, gastar mais dinheiro, enfim, terão de tomar uma série de medidas, e só a pressão da sociedade faz com que as coisas aconteçam. Este momento, embora seja de homenagem, de muita alegria e muita emoção para todos nós, é também um momento de luta. Estamos lutando por uma causa. Lutando por essas crianças, por uma humanidade mais feliz.

Estamos lutando por algo muito objetivo, e esse encontro, essa amizade que se forma entre pessoas, entre as comunidades que se organizam é um subproduto disso. É justamente a formação do ser humano. É isso que é humano. O humano se constrói na comunidade. Nossa luta é longa, mas estamos construindo humanidade nesse processo todo.

Estou nessa luta e espero que consigamos vencer essa batalha. Esse projeto de lei é uma gota no oceano, mas temos ainda, em processo de elaboração, o projeto de obrigatoriedade do exame de ecocardiopatia fetal. Mas, mesmo que consigamos aprová-lo, a luta tem de continuar. A sociedade tem de estar mobilizada. É dessa forma que melhoramos a vida da humanidade e o ser humano. Agradeço a todos pela presença. Muito obrigado.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Neste momento vamos dar início às homenagens às nossas queridas Cirurgiãs Cardiovasculares e Cardiologistas Pediátricas, mulheres que se destacam no ofício de salvar pequenos corações.

Neste momento, convido Dra. Beatriz Helena Sanches Furlanetto, para receber sua homenagem.

Cirurgiã Cardíaca Pediátrica do Instituto Furlanetto da Real e Benemérita Sociedade de Beneficência Portuguesa; Doutora em Cirurgia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; Coordenadora do Curso de Pós-Graduação Latu Sensu de Cirurgia Cardíaca Pediátrica da Real e Benemérita Sociedade de Beneficência Portuguesa.

Entregará a homenagem a criança Agatha. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. Carla Tanamati, para receber sua homenagem.

Livre-docente em Cirurgia Cardiovascular Pediátrica pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; Médica Assistente de Cirurgia Cardiovascular Pediátrica do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; Diretora Científica da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Pediátrica. Entregará a homenagem a criança Luiza Pereira. – Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. leda Biscegli Jatene para receber sua homenagem.

Coordenadora do Serviço de Cardiopatias Congênitas e Cardiologia Pediátrica do Hospital do Coração – Hcor; Presidente do Departamento de Cardiopatia Congênita e Cardiologia Pediátrica da Sociedade Brasileira de Cardiologia – SBC; Doutora em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – FMUSP.

Entregará a homenagem a criança Letícia. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. Luciana da Fonseca da Silva para receber sua homenagem.

Doutora em Cirurgia Cardiovascular pela Escola Paulista de Medicina – Unifesp; Especialista em cirurgia cardiovascular pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular; membro e fundadora da Sociedade Mundial para Cirurgia Cardíaca Pediátrica e Congênita; Membro da Associação Européia de Cirurgia Cardiotorácica – EACTS; Cirurgiã cardiovascular pediátrica atuante nos Hospitais Beneficência Portuguesa de São Paulo; Hospital São Paulo da EPM-Unifesp, Hospital Infantil Sabará e Hospital Santa Catarina. Entregará a homenagem a criança Pedro Lucas. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos a Dra. Magaly Arrais dos Santos para receber sua homenagem.

Cirurgiã Cardiovascular do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia – São Paulo; Membro do Centro de Intervenções em Cardiopatias Estruturais do Coração do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia – São Paulo; Coordenadora do Programa de Residência Médica em Cirurgia Cardiovascular do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia – São Paulo; Cirurgiã e Chefe do Serviço do Centro Cirúrgico do Hospital do Coração – ASSSão Paulo; ministra aulas no Curso de Pós-Graduação da Escola Paulista de Medicina – Unifesp e no Curso de Pós-Graduação do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia – São Paulo. Entregará a homenagem Sra. Marcia Adriana Saia Rebordões. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. Nana Miura para receber sua homenagem.

Médica assistente do grupo de cardiologia pediátrica e cardiopatias congênitas do adulto do Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Entregarão a homenagem Maicon Douglas e Gabriel. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos a Prof Dra EsteIa Azéka para receber sua homenagem.

Médica Chefe da Clínica do Programa de Transplante Cardíaco do Instituto do Coração; Livre-docente da Faculdade de Medicina USP; Secretária Tesoureira da International Pediatric Transplantation Association; Senior teaching assistant do curso de Clinical Trials, na Harvard Medical School. Entregarão a homenagem Gabriel, Felipe Watanabe e Samara Magalhães. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos a Dra. Célia Maria Camelo da Silva para receber sua homenagem.

Chefe do Setor de Cardiologia Pediátrica da Universidade Federal de São Paulo. Entregarão a homenagem Pedro, Samara Magalhães e Agatha Fernanda. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. Lilian M. Lopes para receber sua homenagem.

Chefe do Setor de Ecocardiografia Pediátrica e Fetal da Beneficência Portuguesa de São Paulo; Chefe do Setor de Ecocardiografia e Cardiologia Fetal do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo; Diretora da Ecokid. Entregarão a homenagem Cauan e Mateus. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. Maria Aparecida de Almeida e Silva para receber sua homenagem.

Médica formada pela Universidade Federal de Goiás; Residência em Cardiologia e Cardiologia Pediátrica no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia do Estado de São Paulo; Médica responsável pelo ambulatório de Cardiologia Pediátrica na Criança e adolescente e Chefe do ambulatório de primeiro atendimento do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia do Estado de São Paulo; Membro da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo. Entregarão a homenagem Ariane Helena Pavan, Flávio Cabral Marson e Cecília Chang. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. Maria Virgínia Tavares Santana para receber sua homenagem.

Chefe da Cardiologia Pediátrica e Cardiopatias Congênitas do Adulto do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia; Doutora em Cardiologia pela Universidade de São Paulo; Presidente do Grupo de Estudo da Circulação Pulmonar- Gecip da Sociedade Brasileira de Cardiologia; Editora do PVRI REVIEW – Pulmonary Vascular Research Institute – edição em Português. Entregará a homenagem Ariane Helena Pavan. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. Sandra Regina Celeste Henriques da Costa para receber sua homenagem.

Pediatra, neonatologista, cardiopediatra, ecocardiografista pediátrica e coordenadora da unidade de terapia intensiva da cardiopediatria do Hospital Beneficência Portuguesa. Entregarão a homenagem Yasmin, Guilherme e Ana Júlia. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. Simone Rolim Fernandes Fontes Pedra para receber sua homenagem.

Coordenadora da área de ecocardiografia pediátrica e fetal do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia; Coordenadora da Unidade Fetal do HCor Hospital do Coração da Associação Sanatório Sírio; Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo; Professora de Ecocardiografia Fetal do CETRUS. Entregarão a homenagem Roger Miguel e Mariana. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Dra. Sônia Meiken Franchi para receber sua homenagem. Médica cardiologista pediátrica da Clínica Cardiocirúrgica José Pedro da Silva e Médica Assistente da Unidade de Cardiologia pediátrica do Incor. Entregarão a homenagem Mateus e Guilherme Drummond. Entrega homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos Sra. Márcia Adriana Saia Rebordões para receber a homenagem em nome da Dra. Maria Lúcia Passarelli.

Diretora Técnica da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo; Chefe da Cardiologia Pediátrica da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo há 20 anos; Diretora do Departamento de Pediatria da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos a Sra. Márcia Adriana Saia Rebordões, Diretora Presidente da Associação de Assistência à Criança Cardiopata Pequenos Corações, para receber homenagem das mãos do nobre Vereador Eliseu Gabriel, simbolizando toda comemoração ao Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita. Entrega da homenagem, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Neste momento, convidamos todas as homenageadas para posar para a foto oficial ao lado do nobre Vereador Eliseu Gabriel. Com a palavra a Sra. Patrícia Drummond, Vice-Presidente da Associação de Assistência à Criança Cardiopata Pequenos Corações.

A SRA. PATRÍCIA DRUMMOND – Boa noite a todos. Agradeço, na pessoa do nobre Vereador Eliseu Gabriel, a presença de todos nesta noite fria. Agradeço a todos os médicos que, mesmo com essas agendas atribuladas e exaustivas que têm, se disponibilizaram para participar conosco da segunda celebração do Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita. Não poderia deixar de agradecer a Deus, que nos iluminou durante todo esse tempo, para que conseguíssemos chegar até aqui. Já galgamos muitos degraus, mas sabemos que temos uma longa jornada pela frente, e acredito que, com o apoio de todos, chegaremos em breve ao nosso objetivo final que nada mais é do que permitir que todas as crianças tenham o direito e a chance de lutar por sua vida. É o sonho que nós, quatro mães que fundamos a associação, temos. O direito de lutar e a chance de lutar por sua vida.

Não posso deixar de agradecer a minha amiga Márcia Adriana, que iniciou com um sonho maravilhoso; a minha amiga Larisa Mendes, que não está presente porque que mora na Itália, mas faz um trabalho maravilho: à Fabiola Bioro, que também é outra fundadora da Associação e mora em Pernambuco. Enfim, estamos todas distantes, mas nossos corações caminham juntos. Agradeço a presença de todos. Neste momento, gostaria de apresentar um vídeo que mostra um pouco das atividades da associação pelo Brasil afora. Apresentação de vídeo.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Com a palavra o nobre Vereador Eliseu Gabriel, Presidente e proponente desta sessão solene, para o encerramento oficial.

O SR. PRESIDENTE (Eliseu Gabriel – PSB) – Em primeiro lugar, agradeço a todos pelo esforço, pela luta e pelo carinho. Agradeço principalmente a essas mulheres incríveis que foram homenageamos hoje na Câmara Municipal de São Paulo. O Dia Municipal da Conscientização da Cardiopatia Congênita está sendo espalhado por várias cidades graças ao esforço de vocês. Isso mostra o incrível trabalho de vocês. Ouvi também uma frase muito bacana: ?A melhor maneira de tornar as crianças boas é torná-las felizes.? Muito obrigado a todos.

Estão encerrados nossos trabalhos.

365ª SESSÃO SOLENE

14/06/2011

O SR. PRESIDENTE (Marco Aurélio Cunha – DEM) – Está aberta a sessão. Sob a proteção de Deus, iniciamos os nossos trabalhos.

A presente sessão solene destina-se à entrega do Título de Cidadão Paulistano ao Sr. José Trajano, nos termos do Decreto Legislativo nº 19, de 5 de maio de 2011, de autoria deste Vereador.

Passo a palavra ao Mestre de Cerimônias, Sr. Alex Tseng, para a condução dos trabalhos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Senhoras, senhores, autoridades, sejam bem-vindos à Câmara Municipal de São Paulo.

Para compor a Mesa, convidamos os Srs. José Police Neto, Presidente da Câmara Municipal de São Paulo, German Hartenstein, Diretor Geral dos Canais ESPN no Brasil; Wlamir Marques, ex-jogador de basquete; José Américo, Vereador; Trajano Augustus, irmão do homenageado; Carlos César do Amaral Marchi, Diretor de Comunicação Externa da Câmara Municipal de São Paulo, e Antonio de Oliveira Filho, o Careca, ex-jogador de futebol. (Palmas)

Vamos receber calorosamente o homenageado desta noite, o jornalista José Trajano. Acompanhado do Vereador Marco Aurélio Cunha, adentra o plenário o homenageado, sob aplausos.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Convidamos todos para, de pé, ouvirmos o Hino Nacional Brasileiro.

– Execução do Hino Nacional Brasileiro.

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Recebemos diversas mensagens cumprimentando-nos pelo evento, dentre as quais destacamos as dos Srs. Geraldo Alckmin, Governador do Estado de São Paulo; Gilberto Kassab, Prefeito do Município de São Paulo; Alda Marco Antônio, Vice-Prefeita do Município de São Paulo; Barros Munhoz, Presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo; Coronel Admir Gervásio Moreira, Secretário Chefe da Casa Militar do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, Secretário de Estado de Desenvolvimento; Paulo Alexandre Barbosa, Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia; Edson Giriboni, Secretário de Estado de Saneamento Básico; Silvio Torres, Secretário de Estado da Habitação; Cláudio Lembo, Secretário Municipal dos Negócios Jurídicos; Edsom Ortega Marques, Secretário Municipal de Segurança Urbana; Marcos Cintra, Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho; Alexandre Alves Schneider, Secretário Municipal de Educação; Marcos Belizário, Secretário Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida; Dráusio Barreto, Secretário Municipal de Serviços; João Grandino Rodas, Reitor da Universidade de São Paulo; Desembargador Roberto Haddad, Presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região; Conselheiro Edson Simões, Presidente do Tribunal de Contas do Município de São Paulo; Coronel Álvaro Batista Camilo, Comandante Geral da PM do Estado de São Paulo; Marco Polo Del Nero, Presidente da Federação Paulista de Futebol; Silvio Luiz, locutor esportivo; Douglas Vieira, judoca; Pedro Bial, jornalista, e Washington Olivetto, publicitário; e dos Vereadores Adolfo Quintas, Alfredinho, Aurélio Miguel, Chico Macena, Claudio Fonseca, Claudio Prado, Claudinho de Souza, Dalton Silvano, Domingos Dissei, Eliseu Gabriel, Floriano Pesaro, Gilson Barreto, Goulart, José Américo, Juscelino Gadelha, Milton Ferreira, Natalini, Netinho de Paula, Noemi Nonato, Paulo Frange, Quito Formiga, Toninho Paiva e Ushitaro Kamia.

Convidamos para o seu pronunciamento o Sr. José Police Neto, Presidente da Câmara Municipal de São Paulo.

O SR. JOSÉ POLICE NETO – Boa noite a todos. Eu não poderia deixar de expressar a felicidade pela qual passa a Câmara Municipal de São Paulo ao tornar o Jornalista José Trajano um cidadão paulistano. Ele chegou a me confessar que, como no Rio é torcedor do América, aqui em São Paulo decidiu por ser um torcedor juventino. Portanto, o brasão grená do Juventus vai passar a ornar a sala da ESPN, o que é motivo de orgulho muito grande, porque, no momento em que decidiu ser paulistano, também já decidiu torcer por um grande clube, que o acompanhará durante muito tempo.

É um prazer muito grande receber todos os senhores profissionais que atuam não só na área do jornalismo e da comunicação, e que vêm a Casa compartilhar um dia de festa para o povo paulistano, quando recebe esse carioca por quem temos muito carinho e que há 40 anos se exilou em São Paulo.

Aproveito para parabenizar o nobre Vereador Marco Aurélio Cunha pela iniciativa. E a todos vocês o meu muito obrigado. (Palmas)

MESTRE DE CERIMÔNIAS – Nascido José Trajano Reis Quinhões, no Méier, ganhou o apelido de Zezinho no bairro da Tijuca, zona Norte do Rio, onde passou a infância e a adolescência. Lá também nasceu a paixão pelo América, clube no qual foi jogador de basquete e de futebol de salão.

Jornal do Brasil, Correio da Manhã, Tribuna da Imprensa, Diário de Notícia, Última Hora, Jornal dos Esportes e Placar foram etapas de uma carreira feita à base de indignação, da busca da perfeição, da luta contra todo tipo de injustiça e com o privilégio de ter trabalhado com os mais brilhantes jornalistas de sua geração.

Essas e outras histórias serão contadas a partir de agora, mas não por mim e sim por pessoas que fizeram parte delas. Como diria J. Silvestre: esta é a sua vida. Ou, parodiando Fausto Silva: você está no arquivo confidencial. (Palmas)

Preparem-se, porque, para comandar o arquivo confidencial José Trajano, para começar, convidamos o Sr. João Palomino. (Palmas)

O SR. JOÃO PALOMINO – Só preciso de 30 segundos para dizer que, ao longo de 16 anos ao lado de José Trajano, aprendemos acima de tudo que é preciso ter alma para fazer o que fazemos, é preciso respeitar as referências que temos e é preciso escolhê-las muito bem. Vamos, portanto, agora ver algumas referências de José Trajano que também são de todos nós. Começo com parceiros, companheiros que são os amigos para sempre de José Trajano.

Fonte: Diário Oficial

TOP